terça-feira, 17 de junho de 2008

Juventude. O Futuro da Igreja. Como?

Você alguma vez já se perguntou como a juventude de hoje vai administrar as igrejas nos anos vindouros? Alguma vez você já parou pra pensar no comportamento do jovem cristão do século XXI? Diante destes questionamentos surge uma assustadora preocupação. Falo isso enquanto jovem, pois tenho conhecimento da barreira que o jovem sincero enfrenta quando decide fazer a obra do Reino com criatividade e compromisso com a Palavra. Sei que alguns, mais velhos, não crêem que Deus possa usar um jovem de maneira ousada e grandiosa. Mas isso é assunto pra outro texto..

Sinceramente sinto-me preocupada com a juventude e os adolescentes da igreja atual. O que se pode perceber claramente é a alienação quanto às influências que contrariam os valores do Reino de Deus. Muitos querem ‘revolucionar’ os costumes (esforço-me para ensinar os VERDADEIROS valores do reino à luz da Palavra), mas acabam por gerar um conglomerado de rebeldias contra homens, tão somente.

Muitos querem mostrar que ‘eu sei que a Bíblia não proíbe’ e saem pelo mundo afora sem comprometimento algum com o evangelho nato, puro, as ‘boas-novas’ de Cristo Jesus. E o que é pior, deixam-se influenciar pelo ambiente midiático, pelas novelas, pelas bandas pop-stars, pelas celebridades e por aí vai..

Nessa ‘onda’ vai também o interesse pela Palavra de Deus, que é tão bela, tão plausível de se estudar, de se discutir entre os amigos. Nessa onda vai também o prazer em louvar o nome santo do Senhor. Louvar sem se importar com quem vai cantar melhor ou se vai errar a letra do hino..

Ao olhar a juventude, perdida em meio ao sentimentalismo, sem repostas para o que passam, sinto-me constrangida. Constrangida porque o que Deus tem para nós é diferente do que imaginamos e muitos não querem aceitar isso. Só aceitam aquilo que engoda o coração. Ouvir uma ‘profecia favorável’, fazer dois meses de campanha..sem tomar atitude alguma..sem iniciar uma etapa corajosa, com a ajuda de nosso Pai. E assim, continuam na mesma..até algum dia....

Serão esses os jovens líderes de nossas igrejas no futuro? Se não houver mudanças de comportamentos, transformação verdadeira pelo evangelho, como aconselharão? Como julgarão casos? Como tomarão decisões importantes para os membros e para a igreja por um todo?

Minha oração, como jovem e creio que é a oração de outros tantos jovens amantes da Palavra de Deus e compromissados com o Evangelho, é que a juventude cristã de hoje compreenda o que é ser cidadão do Reino dos Céus. O que é ser cristão em uma sociedade pervertida, perdida em preconceitos, discriminações, violências, uma sociedade que deturpa valores como o de casamento, da sexualidade etc.

A juventude de hoje necessita agir de maneira mais inteligente. Mais cidadã. Mais cristã! Sem isso, futuro haverá?

5 comentários:

joas disse...

olha esta dificil a cada dia q se passa. os jovens são bombardiados pela mídia,ela tem confundido os jovens q não tem uma estrutura,espiritual e familiar. os pais tem uma parcela de culpa também,nunca tem tempo para dialogar,tirar as dividas,que são milhares. mas eu tenho plena certeza, q DEUS vai mudar esse quadro atravez dos jovens estruturados na palavra de DEUS. até porque a biblia diz: que nós ja vencemos o maliguino. estou orando por esse dia ........... tchau

William mauricio disse...

bom eu acho,que os jovens encontra muita dificuldade,nao somente fora da igreja mais tambem dentro......algumas doutrina que sao totalmente inversa dos ensinamento de Jesus.......o meu maior medo e se no futuro...se olharemos para os jovens de forma diferente...lembrando Deus nao faz aquilo que o homen pode fazer

HeroS disse...

"...e por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriará."... talvez hoje estas palavras proféticas de Jesus no monte das Oliveiras há mais de 2000 anos atrás nunca foram tão evidentes em nossos dias.

O jovem tem acesso a tanta informação ao mesmo tempo e a todo instante e tantas "obrigações" como escola e trabalho,
que "jogam" toda responsabilidade cristã em 2º plano.

Deixar esfriar o 1º Amor é sintoma que atinge a maioria dos jovens e muitos são os "porquês" (dentre os mais comentados, a mídia).

A preocupação dos pastores e obreiros em deixar o legado do Evangelho para os filhos tem tirado o sono de muitos. O que é visto nas igrejas atuais tem dado muitas razões.

Procura-se a raíz desse mal. Mas e se a raíz está arraigada nos corações. Se a vontade de se renovar não parte do próprio jovem, nem Deus o fará (livre arbítrio)..

Não sei como estão os jovens cristãos no resto do mundo.. tenho apenas essa visão local..
O futuro do Evangelho no Brasil parece comprometido?
Não há dúvidas.
Sem demagogias, sem filosofias, o fato deve ser estudado individualmente. E não há campo de pesquisa melhor que o Lar.

Abçs.

Edemir Antunes Filho disse...

Iris,
graça, paz e bem!

Gostei de conhecer este seu espaço de reflexão cristã. Voltarei outras vezes.

Felicidades!

Lucas Martins disse...

Não sendo demasiadamente conservador e clássico, acredito que a obra de Deus não irá parar.

Mas a reflexão é bem pertinente, pois enquanto jovem, penso nisto também como parte integrante dessa parcela cristã que assumirá, se Deus permitir e não vir até lá, a frente desta causa: a propagação do evangelho de Cristo.

A sociedade brasileira passa por uma transformação forte da moral aprendida outrora, temos uma troca de geração e o avanço disparado da tecnologia da comunicação. É um tripé que resulta em uma única coisa: a troca/perda de valores.

Infelizmente a igreja, enquanto organização, não está imune a essas transformações. E o pior de tudo: não se atentou e preparou-se para isto. Assim como a sociedade num todo, a igreja brasileira passa por uma troca de geração. Só que a transição está sendo feita de uma forma brusca: de um lado a geração que é o que é pela misericórdia de Deus, pois não tiveram apoio nenhum enquanto jovens. Do outro lado, uma nova geração que influenciados pela mídia, cobra explicações plausíveis em indagações que começam ou terminam assim "porque não pode isso?". Como não estão atentos a voz do Espirito Santo e nem meditam na palavra de Deus, confundem liberdade com libertinagem. Onde vamos parar? Sinceramente não sei.

O que eu tenho certeza é que enquanto em mim houver fôlego de vida, irei proclamar ao mundo que JESUS CRISTO É O SENHOR DE NOSSAS VIDAS e que eu não irei me conformar, se adaptar, a esta nova moral que se constrói na sociedade brasileira.

"O viver para mim é Cristo e o morrer (por esta causa) é ganho".

Graça e Paz sejam convosco!